Prêmio Elizabeth | Edital de convocação para submissão de trabalhos é divulgado ao público

Com o objetivo de trazer à luz trabalhos em torno das lutas históricas das mulheres e do direito à terra no Brasil, o Proprietas torna público o edital do Prêmio Elizabeth. A proposta homenageia Elizabeth Teixeira, importante líder rural do país.

O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia História Social das Propriedades e Direito de Acesso, conhecido sob a alcunha de INCT Proprietas, é um projeto internacional coordenado pela Professora Doutora Márcia Motta e financiado pelas principais agências de investimento em pesquisa do Brasil (CAPES, CNPq e FAPERJ). Dentro do desafio de promover um maior diálogo com os pares latino-americanos, bem como de ampliar a política de acesso à produção monográfica sobre as diferentes noções de propriedade, o Proprietas torna público o edital do Prêmio Elizabeth.

O objetivo da proposta é premiar o melhor trabalho que tenha as discussões sobre as lutas das mulheres e pelo acesso à terra enquanto fios-condutores de análise. Com a ascensão do governo de Jair Bolsonaro, o debate sobre o direito de acesso à propriedade e a defesa do bem comum – objetos centrais de pesquisas e discussões empreendidas pelo Proprietas – se somaram às outras dramáticas situações que as mulheres vivenciam no Brasil e na América Latina como um todo. O Prêmio Elizabeth foi pensado, portanto, em face do aumento incomensurável do feminicídio e do aumento do machismo enquanto estrutura político-social nesse território.

Sobre a estrutura do prêmio:

O Proprietas selecionará, através de concurso público, o melhor texto escrito em português ou espanhol sobre o protagonismo feminino e as lutas pela terra no mundo ibérico. O trabalho vencedor será contemplado com publicação em livro físico e digital. Para concorrer ao prêmio, serão aceitas pesquisas acerca do tema, independentemente de se tratarem de mestrado, doutorado ou mesmo de monografias. A equipe de juradas será composta por historiadoras, geógrafas, cientistas sociais e outras profissionais das ciências humanas e sociais, de instituições latino-americanas e europeias.

O edital de convocação pode ser consultado aqui.

Sobre a homenageada:
Elizabeth Teixeira tem hoje 96 anos de idade e é uma importante líder camponesa paraibana e viúva de João Pedro Teixeira, fundador da Liga Camponesa de Sapé. É também protagonista do documentário Cabra Marcado para Morrer, lançado em 1964. Elizabeth nunca se curvou à ameaças, mesmo após o assassinato de seu marido, em virtude da ação de latifundiários, em 1962. Mãe de onze filhos, continuou na luta pelo trabalho digno, pela dignidade humana e pela reforma agrária.

Compartilhe: