Patrimônios mapeados

Conheça o Mapa Interativo de Patrimônios do Proprietas, plataforma idealizada para ampliar as discussões sobre propriedade para o Ensino Básico

Por Isaque Ferreira*

Em 2014, graças a um edital da FAPERJ (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro), a ideia de mapear os patrimônios brasileiros saiu do papel. Assim surgiu o Mapa Interativo de Patrimônios do Proprietas, fruto da combinação entre pesquisa acadêmica e projeto de extensão. O mapa foi idealizado para ser usado, principalmente, por alunos do Ensino Básico, com uma interface acessível, abordando questões que envolvem diversas matérias, como Geografia, História, Sociologia, Filosofia, Português e Artes. O acesso é gratuito e pode ser usado por qualquer profissional da área de ensino, basta ter acesso à internet.

A pesquisadora Marina Machado, coordenadora regional do Proprietas e uma das idealizadoras da iniciativa, fala sobre a elaboração do projeto: “A ideia era garantir um lugar de registro dos patrimônios, não apenas aqueles reconhecidos e tombados pelos órgãos públicos, mas também aqueles locais reconhecidos pela população como importantes lugares de memória”. Além da colaboração de Machado, o mapa também foi desenvolvido por outros membros do Proprietas, como a coordenadora geral e fundadora do instituto, Márcia Motta, e pela equipe composta pelo pesquisador Leandro Malavota (IBGE) e pelos professores Allan Rocha (Direito-UFRRJ), Beatriz Cerbino (Produção Cultural-UFF) e Leandro Mendonça (Produção Cultural-UFF).

Detalhe do Mapa Interativo

Detalhe do Mapa Interativo

A principal motivação do projeto consiste na criação de um mapa que funcione como um infográfico, gerando reflexão sobre a temática da propriedade, assim como para produção de pesquisas voltadas para defesa de interesses coletivos. Ao acessar a área do mapa, é possível ver as diferenças entre patrimônio e patrimônio fantasma. O primeiro é definido como um bem coletivo, que pertence a todos os integrantes de uma nação, bens materiais e imateriais que representam a herança de um passado comum. Já o segundo classifica aqueles espaços que foram destruídos ou abandonados pelos órgãos públicos, mas que ainda mantêm uma memória de sua existência pela sociedade. É importante ressaltar que os debates que envolvem as noções de patrimônio são fundamentais para os estudos desenvolvidos pelo Proprietas, por isso apresentá-las em forma de mapa para um público jovem é indispensável para que tais discussões sejam amplamente difundidas.

Além disso, o projeto do Mapa Interativo de Patrimônios prevê a expansão da iniciativa para que o conhecimento não se limite ao site. Assim, o Proprietas examina as possibilidades de implementação de mobiliários urbanos nos espaços mapeados, apresentando informações históricas sobre o patrimônio e direcionando os visitantes para o site do projeto através de escaneamento de QR Code por dispositivos móveis. Segundo Marina Machado, a pesquisa tem como objetivo a conscientização das pessoas: “É importante que os cidadãos conheçam os patrimônios de suas cidades, só assim pode ser promovida maior consciência em prol da preservação destes espaços”.

Acesse o Mapa dos Patrimônios aqui: http://patrimonios.proprietas.com.br/

 

*Texto com supervisão de Eduarda Kuhnert
Compartilhe: