Aula Espetáculo com Marcelo Gambi: A Capitania de Minas Gerais e o acesso às Unidades Produtoras: mineração e atividades alimentícias em um espaço em construção (1700c. -1808c.)

No dia 23 de outubro acontecerá a próxima Aula Espetáculo organizada pelo Proprietas. A palestra será ministrada por Marcelo Gambi, doutorando em História pela UFF (Universidade Federal Fluminense). O convidado analisará as transformações ocorridas na então Capitania de Minas Gerais no século XVIII, o que levou à diversificação das estruturas sociais e econômicas presentes na região. O evento será realizado em duas sessões, de manhã às 8h e de noite às 19h, na UNICENTRO (Universidade Estadual do Centro-Oeste), localizada em Guarapuava, cidade no interior de Paraná.

Inspiradas na proposta concebida pelo escritor brasileiro Ariano Suassuna, as Aulas Espetáculo promovidas pelo Proprietas buscam um formato que se diferencia da dinâmica expositiva mais usual. As aulas formam uma série de encontros que não se centra em um determinado tema de forma rígida e tampouco se resume a apenas um interlocutor falando para os seus ouvintes. As edições do projeto acontecem de forma itinerante, revezando-se entre Maranhão, Pará, Rio de Janeiro e Paraná. São eventos abertos à comunidade e posteriormente serão disponibilizados nas redes sociais do instituto para que se tornem material acessível para o público.

Resumo da aula: A descoberta do metal precioso na passagem para os setecentos provocou transformações substanciais nos aspectos sociais, cultural, político e econômico no que viria a ser a Capitania de Minas Gerais. Indivíduos das mais variadas localidades da colônia ou, ainda, da própria metrópole, vieram a se instalar e compuseram a sociedade do ouro. Entretanto, como salientou Caio Boschi, nem tudo o que reluzia nas minas era o ouro. Desta sociedade complexa que estava se compondo, outras atividades se desenvolveram concomitantemente à extração do metal precioso, em destaque para o comércio e, principalmente, para as atividades de gêneros alimentícios. Dito isto, este trabalho visa a apresentar, em aspectos gerais, a composição e a diversificação das estruturas sociais e econômicas presentes na Capitania de Minas Gerais. Posteriormente, será abordado o acesso às unidades produtoras no que diz respeito às unidades de terras. Neste ponto em especial, as nossas análises estarão voltadas para a Comarca do Rio das Mortes, por ser esta uma das principais regiões que apresentaram um crescimento significativo das atividades alimentícias. Buscaremos analisar também, a expansão das fronteiras e a conquista dos sertões desta comarca, pois envolveram muitos embates, na medida em que mais terras eram solicitadas pelos sesmeiros que ocuparam esta comarca ao longo dos setecentos.

Mini-bio de Marcelo Gambi: Possui graduação em História pela Universidade Federal de São João Del Rei – MG (2010) e Mestre em História Social pelo Programa de Pós-graduação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013). Atualmente está realizando o Doutorado em História pela Universidade Federal Fluminense, com orientação da Prof. Dra. Marcia Maria Menendes Motta. É membro do Proprietas. Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil e Moderna, atuando principalmente nos seguintes temas: império português, hierarquias sociais, conflitos e acesso às unidades de terras, sertões, expansões de fronteiras e história agrária.

Serviço:
Aula Espetáculo com Marcelo Gambi: A Capitania de Minas Gerais e o Acesso às Unidades Produtoras: mineração e atividades alimentícias em um espaço em construção (1700c. -1808c.)

Data: 23 de outubro de 2018

Horário: 8h e 19h

Local: Sala de eventos do Campus Santa Cruz – UNICENTRO

Evento gratuito